| | | 55 31 3568-1401

Vá em paz

Vá em paz

Todos nós temos alguma coisa em nossas vidas que não queremos que os outros vejam – alguma fraqueza persistente, algum fracasso vergonhoso ou uma luta contra algum pecado? Lucas 8:42-48 nos dá boas notícias.

Após testemunhar Jesus operando milagres, uma multidão se formou ao seu redor, e quando Jesus seguiu em direção à casa de Jairo para curar sua filha, a multidão o acompanhava. No meio da multidão estava uma mulher desesperada. Por doze anos ela sofria de uma doença vergonhosa, e os tratamentos médicos lhe deixaram pobre e sem esperança. Nada ajudou.

Porém, ela também viu o poder de Jesus. Quando ele encostava nas pessoas, elas eram curadas.

Se ao menos ela conseguisse que ele encostasse nela…

Mas ela tinha um problema! O problema dela era o problema. Todos que vinham até Jesus pedindo cura tinham de dizer a ele – e, de tabela, a todos ao redor – qual era o problema que estava precisando de cura. Jairo tinha acabado de fazer isso. Mas e a hemorragia dessa mulher? Dizer isso na frente de todos aqueles homens? Pior ainda, o seu sangramento a tornava impura, o que tornava a situação ainda mais vergonhosa.

Mas talvez Jesus não precisasse saber que ele encostou nela. E se ela encostasse nele? Com toda aquela multidão em volta, será que ela conseguiria encostar no seu manto rapidamente sem ninguém perceber? Ela então se espremeu na multidão para alcançar Jesus. Quanto mais próximo chegava, mas aumentava o frio na barriga. Os discípulos estavam tentando impedir as pessoas de agarrá-lo. Mas o desespero dessa mulher lhe deu determinação. De repente ela viu a oportunidade e rapidamente se agachou e passou a mão no canto do manto de Jesus.

Ela soube instantaneamente que estava curada. Uma onda de alegria percorreu seu corpo… Mas Jesus parou de andar e começou a procurar na multidão. Ele parecia preocupado e perguntou em voz alta; “Quem tocou em mim?”

E então a mulher foi tomada pelo medo. Todo mundo se entreolhava. A mulher congelou. Pedro, um pouco irritado, disse para Jesus: “Mestre, a multidão toda se aperta em volta do senhor!” Pelo amor de Deus, todo mundo está tentando encostar em você! Mas Jesus continuou procurando e disse: “Alguém certamente tocou em mim, pois senti que de mim saiu poder”.

Timidamente ela disse: “Fui eu”. Ela então se aproximou de Jesus e a multidão abriu espaço. Em lágrimas ela caiu de joelhos na frente dele. “Eu toquei em você, Mestre”. E ela derramou a sua vergonha na frente de todos. Jesus estava claramente comovido. Ele se aproximou dela, enxugou suas lágrimas e disse, “Filha, sua fé a curou. Vá em paz”.

Essa mulher, que fez tanto esforço para guardar segredo, teve que falar para todo mundo. Por que? Porque ela creu nele e isso foi testemunho para a Sua graça. O que Jesus estava expondo para todos naquele momento não era a fraqueza e a vergonha da mulher, mas o fato de que a fé dela a tornou sã. Era uma fé baseada em quem Ele era e no Seu poder: não era uma fé cega baseada em um sentimentalismo. Ele queria que a fé dela fosse visível para que todos que carregam alguma vergonha secreta – ou seja, todos nós – pudessem ter esperança. Jesus, o Grande Médico, tem o poder de nos curar de qualquer pecado, de toda fraqueza, de todo fracasso, de cada doença e de todo mal que já foi cometido contra nós.

Esse encontro potencialmente prejudicial se tornou uma célebre reinserção a seu próprio povo. Além disso, uma mulher ‘impura’ encostar em Jesus teria tornado Jesus cerimonialmente impuro pelos padrões judaicos. Porém, o que aconteceu foi o efeito contrário, em vez de tornar Jesus impuro, foi a mulher impura que foi tornada pura quando encostou em Jesus.

Jesus disse: “Vá em paz….” Isso não significava que ela deveria ir com um sentimento bom, na verdade isso seria como dizer: “Vá em completude”. Jesus a curou fisicamente. Espiritualmente sua fé estava no lugar certo. Relacionalmente ela teve a oportunidade de ser reintegrada à sua comunidade.

Um retrato lindo de paz: completude espiritual, física e relacional. É isso que nós buscamos e é para isso que nós oramos.

Janet Lubbe
Miqueias Global

(Parte desse texto vem de um comentário de Jon Bloom)

(Extraído do boletim de oração Miqueias de março de 2019)

Leave a Reply