| | | 55 31 3568-1401

Justiça e Reconciliação

Justiça e Reconciliação

A lacuna entre a justiça e a reconciliação parece vasta, a menos que saibamos que a fonte das duas é encontrada em Jesus Cristo. A justiça descreve algo como ele deve ser. Logo, fazer justiça reflete o caráter de Deus e é expresso em palavra e em feitos por meio da escolha intencional ao se realizar as ações corretas.

Levantam-se várias questões:

  • Como sabemos o que deve ser?
  • Qual é o caráter de Deus que estrutura as nossas respostas justas?

Por toda a Bíblia encontramos as características de Deus enquanto Ele se envolve com as pessoas. Temos o exemplo perfeito de Deus revelado a nós na vida de Cristo e por meio desta. Hebreus nos conta que Jesus é a representação exata de Deus.

Uma das características centrais de Jesus é o amor. Como se parece o amor? O amor busca a justiça para todos. Ele não pode suportar o sofrimento, a exploração, a opressão, a marginalização, o egoísmo, a ganância ou o conflito. O amor busca a cura, a restauração, o perdão e a reconciliação.

Claro que quanto mais amamos, mais nos condoemos e lamentamos o sofrimento e a injustiça no nosso mundo. Consequentemente, mais nos iramos contra a falta de sentido nisto tudo. É por isso que Deus nos chama a amar a misericórdia, visto que ela leva a nossa ira e frustração à Cruz e nos transforma em pessoas que veem a face de Deus em todas as pessoas, em toda a Criação. Isso possibilita que andemos com aqueles que precisam saber e sentir o amor de Deus por meio de nós. Estas são as Boas Novas em ação.

Quando os discípulos de João perguntaram a Jesus se Ele era o Messias que tanto se esperava, aquele que se aguardava para trazer a justiça, Jesus respondeu ao descrever os sinais, tais como cura, restauração e reconciliação. (Lucas 7:22). Talvez a justiça que João procurou tenha sido a remoção do poder oprimente dos romanos ou a destruição dos seus inimigos. Ainda assim, Jesus aponta claramente para uma descrição de justiça que é expressa em redenção e plenitude.

Não podemos separar justiça de reconciliação. Elas são integrais ao evangelho.

A Bíblia nos auxilia a sabermos como a justiça se parece – são as boas novas aos pobres porque eles são retirados da pobreza. São as boas novas aos oprimidos porque eles são libertos. São as boas novas aos marginalizados porque eles são inclusos na família de Deus. São as boas novas aos ricos, visto que lhes proporciona a oportunidade de serem usados por Deus para abençoar e agir justamente.

Agir justamente é realizar a reconciliação.

Deus nos chama a um ministério de reconciliação (2 Coríntios 5), consequentemente, somos chamados a praticar a justiça.

Senhor, nos ajude a sermos pessoas que pratiquem a justiça, amem a benignidade e andem humildemente com o Senhor. Miquéias 6:8.

Sheryl Haw
Diretora Internacional

Sheryl Haw
Diretora Internacional

(Extraído do boletim de notícias Miqueias de fevereiro de 2019)

Leave a Reply