| | | 55 31 3568-1401

Fórum sobre Economia Restaurativa promoveu debate sobre sustentabilidade e mordomia da Criação

Fórum estimulou reflexão sobre Economia Restaurativa e mordomia da Criação

Com o objetivo de refletir,  a partir da prática bíblica do Jubileu, sobre todos os aspectos da criação, das relações, da  economia e da vida, a Tearfund promoveu, entre os dias 17 e 18 de março, um Fórum sobre Economia Restaurativa. Realizado na Casa Irmãs Sacramentinas, em Belo Horizonte,  o evento reuniu 33 representantes de entidades parceiras,  redes e organizações. “Durante os dois dias do Fórum discutiu-se questões relacionadas ao meio ambiente,  sustentabilidade, manejo sustentável,  resíduos sólidos, agroecologia, economia circular e foram dados muitos exemplos práticos de pessoas que estão respondendo aos desafios inerentes à boa mordomia da criação, seja em meio urbano ou rural”, pontuou o representante da Tearfund Brasil, Serguem Silva. Também integraram a programação: reflexões bíblicas, palestras, painéis de experiências, debates e trabalhos em grupo.

Participaram do Fórum representantes da Origem – organização vinculada à Primeira Igreja do Evangelho Quadrangular de Manaus; A Rocha Brasil;  Diaconia; Rede Evangélica Nacional de Ação Social (RENAS); Federação das Entidades e Projetos Assistenciais da CIBI – Convenção das Igrejas Batistas Independentes (Fepas); Aliança Evangélica Brasileira; Instituto Solidare; Igreja Batista da Redenção de BH; Missão Aliança; Coletivo Ame a Verdade; Universidade Federal do Amazonas (UFAM); Universidade Estadual de Montes Claros; Faculdade Teológica Sul Americana; EPEA Brasil; Associação dos Catadores de Papel, Papelão e Materiais Reaproveitáveis (Asmare); Fraternidade Teológica Latinoamericana (FTL); Oikos Brasil; representantes de três etnias indígenas: Terena, Tupari e Gavião dentre outros parceiros e convidados.

No no painel intitulado Reflexão Teológica: O Jubileu ontem e hoje, que abriu a programação na manhã do dia 17, o pastor Donizetti Bueno, da FTL-São Paulo, fez uma reflexão bíblica baseada no texto de Levítico 25. Bueno ressaltou que a justiça deve ser praticada primeiramente pelo povo de Deus e depois se espalhar pelo mundo. Ao falar sobre a figura do Resgatador no texto de Levítico, o pastor enfatizou a missão da igreja a partir do que Cristo faz por nós:

Jesus é o nosso resgatador hoje. Resgatador daqueles que sofrem por violências, injustiças e discriminação. Resgatador dos pobres, daqueles vistos como pequenos diante do atual sistema econômico e político”.

Ao comentar o painel, o pastor Luiz Felipe Xavier, da Igreja Batista da Redenção, destacou que uma das maiores ordenanças de Deus para o seu povo expressas no texto de Levítico 25 é a santidade. “Para que os israelitas aprendessem a ser diferentes das nações pagãs, Deus estabeleceu leis econômicas e sociais que deviam ser respeitadas”, afirmou. Tais leis, segundo explicou o pastor, obedeciam aos princípios da mordomia da criação, equidade e solidariedade para com os mais pobres.

Na palestra intitulada Sustentabilidade, meio ambiente & mudanças climáticas: avanços & dilemas, a Dra. Maria. Do P. Socorro Rodrigues Chaves, da UFAM, 
contextualizou a problemática socioambiental contemporânea e apresentou os principais desafios para o comprometimento cristão com a sustentabilidade. Segundo a pesquisadora, a espiritualidade surge neste momento como ferramenta vital para uma correta visão sobre: natureza, Deus e  homem.

Somente através da renovação espiritual pelo conhecimento de Deus e a consciência de que tudo no mundo é para honra e glória de seu Criador pode-se experimentar um modo de vida ecologicamente correto”, concluiu.

Na tarde do dia 17 Afonso Fernandes, da Diaconia, e Alexandre Fernandes, da EPEA, debateram técnicas de manejo e exploração no painel intitulado “Agroecologia & Economia Circular”. Em sua fala Afonso Rodrigues ressaltou que a natureza não faz parte da sociedade, mas a sociedade é que faz parte da natureza. Alexandre Fernandes corroborou a opinião de Afonso ao refletir sobre os conceitos da Economia Circular quando enfatizou que a economia só vai bem quando a sociedade e o ecossistema vão bem, sendo que uma das piores consequências do consumismo é a geração de lixo. “O consumo é inerente à pessoa humana. O problema é que no consumo precisamos gerar impactos positivos e não impactos negativos como temos gerado. Resíduos têm que gerar nutrientes, como acontece na agroecologia”.

Na manhã do dia 18 o pastor Laurence Martins, da Pieq-Origem, fez uma Reflexão bíblica sobre a Teologia da Criação.
“Uma questão que precisamos destacar é que não basta apenas cuidar da criação, mas é necessário cultivá-la”, ressaltou.  Ao comentar a exposição bíblica, o pastor José Marcos, presidente do Instituto Solidare, afirmou que não podemos dissociar “os gemidos” da criação do problema da pobreza e que o estilo de vida contemporâneo não pode ser suportado pela natureza. Já o pastor Christian Gillis, da Igreja Batista da Redenção, apontou a urgente necessidade de se pensar a economia sob parâmetros teológicos. “Um economia que redescubra o cuidado com o meio ambiente não deve ser antropocêntrica, mas enxergar toda a criação de maneira sistêmica”. Gillis enfatizou ainda a necessidade de a teologia ser pensada de maneira mais integrada, coletiva e solidária.

Veja aqui as fotos do Fórum.

Culto de lançamento da campanha Renove Nosso Mundo: 

Na noite do dia 17 a Tearfund promoveu o culto de lançamento da campanha global Renove Nosso Mundo. Leia aqui a reflexão bíblica ministrada por Bebeto Araújo, da Missão Aliança sobre Clima, Sustentabilidade e Cuidado com a Criação. Veja aqui as fotos do culto.

Sobre Renove Nosso Mundo:

Assista ao vídeo da campanha (português): https://www.youtube.com/watch?v=V11aSzgfa2s.

Press-release do lançamento da campanha (português): https://goo.gl/5LCU1v

Website da campanha (recursos em inglês, espanhol e português): http://renewourworld.net/pt-br/

Leave a Reply