| | | 55 31 3568-1401

Deus prefere meninos?

Deus prefere meninos?

Deus prefere meninos! Esta é a mensagem que meninas e mulheres recebem durante toda a vida delas e, infelizmente, a igreja simplesmente a reforça.

Da concepção ao nascimento, a retórica comum é que há a esperança de nascer um menino em vez de uma menina. Algumas comunidades até culpam a mãe por não apresentar um menino! O infanticídio feminino continua a ser um problema real – por quê? Porque ainda há a percepção de que as mulheres têm menos valor e que homens apresentam uma maior habilidade de gerar renda. Um pai que teve três filhas ficou maravilhado pelo quarto filho ser um menino e compartilhou ao dizer que finalmente ele tinha alguém que carregasse o nome da família e a herança.

As famílias exacerbam mensagens sutis; seja por meio de alocação de tempo, verbas, herança e até afeição, ou por meio de distribuição de autoridade – o filho estar “no comando”, por exemplo. A mensagem fica nítida – meninas têm menos valor e são menos capacitadas.

As escolas reforçam os papéis estereotipados por meio de seleção de matérias forçadas – as meninas fazem culinária e corte, e costura e os meninos, carpintaria e projetos. Pior ainda, em algumas comunidades, as meninas são forçadas a oferecer favores sexuais para conseguirem se formar!

As igrejas podem ampliar ainda mais este exagero de mensagens com afirmações soberbas, tais como: “homes e mulheres têm papéis distintos, mulheres são para cuidar da casa, homens são para manter a casa”, ou simplesmente por não haver mulher na liderança ou como autoridade, além da Escola Dominical. Conheço isto por experiência própria – os líderes da minha igreja me falaram que não se permite mulheres a lecionar e que foi como Deus ordenou a ser. Homens são para liderar, lecionar e chefiar. Eu me lembro de quando um colega no Quênia anunciou que se casaria, ele compartilhou comigo que agora ele tinha um responsabilidade ainda maior, já que agora era responsabilidade dele de pastorear a sua esposa e se certificar de que ela se comportasse e seguisse a Cristo! Uma mulher que sofria abusos do seu esposo procurou ajuda do pastor, o qual disse que era para ela se sujeitar e perguntar o que ela tinha feito para hostilizar o marido dela e a forçá-lo a agir de tal maneira?

É verdade – Deus realmente prefere meninos? Ele guardou todos os dons de liderança e de ensinamentos apenas para os meninos? Ele realmente quer que as mulheres sejam vistas e tratadas como menos do que os homens, até mesmo menos do que os seres humanos?

Tudo o que eu leio sobre Deus, Seu amor, Sua justiça, Seus objetivos de redenção e de reconciliação, Sua igualdade criativa ao criar tanto homem como mulher em Sua imagem – a forma que Jesus tratou as mulheres e o modo que somos todos iguais em Cristo – me diz que Deus não tem favoritos e distribui dons tanto para homens como para mulheres.

Mas como nós capacitamos todos a enxergarem e compreenderem este fato? Como que podemos lidar com os credos profundamente estimados os quais pessoas e comunidades mantêm, os quais levam a esta desigualdade que permeia todos os aspectos da vida? Romanos 12:2 diz que precisamos ser transformados por meio da renovação da nossa mente.

Cremos que isso tem início com um compromisso em amor e desejo de igualdade para todos. Incentivamos todos da nossa família Miqueias a, hoje, tomarem um posicionamento, além de todos os dias, para alcançarmos a igualdade de gênero e de liberdade. Que isto tenha impacto em seus lares, suas comunidades, seus locais de trabalho, e suas igrejas. Que se tornem defensores dos direitos e exemplos pela igualdade em tudo que fazem e por meio de tudo que dizem. O impacto será imensurável.

Graça e Paz,

Sheryl Haw
Diretora Internacional

(Extraído do boletim de notícias Miqueias de março de 2019)

Leave a Reply