| | | 55 31 3568-1401

Crise na Venezuela: quando o sonho das crianças é ter o que comer

Crise na Venezuela: quando o sonho das crianças é ter o que comer

Quando os professores de Caracas pediram às crianças que desenhassem o que sonhavam os resultados foram surpreendentes. “Eles desenhavam comida porque não têm dinheiro para comprar o que comer”, relata Ana ao recordar sua viagem à Venezuela.

“Mesmo aqueles que ainda podem ir à escola não conseguem entender o que estão aprendendo por causa da fome. Durante aquela viagem eu chorei muito.”

Ana, que trabalha para a Tearfund na América Latina, acaba de voltar da Venezuela para aprender sobre a crise dos refugiados e sobre como a Tearfund e nossos parceiros estão ajudando aqueles que fugiram para países vizinhos como Colômbia e Brasil.

Com a reeleição do presidente venezuelano Nicolás Maduro para mais um mandato de seis anos o êxodo deverá aumentar.  A eleição que aconteceu no dia 20 de maio foi marcada por um boicote da oposição e alegações de manipulação de votos.

Segundo Ana, “não há democracia real. Há uma crise econômica profunda. Não há comida ou medicamentos suficientes – faltam hospitais. Há comida para comprar, mas as pessoas não têm dinheiro para comprá-la – se você ganha US $ 1 por mês, como você pode pagar US $ 5 por óleo de cozinha?”

Uma crise que muda rapidamente

Desenvolvimentos políticos e socioeconômicos em andamento levaram cerca de 1,5 milhão de venezuelanos a fugirem do país nos últimos 18 meses. Isso inclui 35.000 pessoas que cruzam a fronteira com a Colômbia diariamente para estocar alimentos e outros itens básicos. Outros fugiram para o Peru, Equador, Chile e Brasil.

A inflação anual pode alcançar mais de 300.000% até o final do ano. A maioria da população não tem acesso a medicamentos essenciais e mais de 8 milhões de venezuelanos não têm comida suficiente. O êxodo colocou os serviços públicos nos países vizinhos sob pressão, especialmente no setor da saúde.

As áreas fronteiriças na Colômbia estão fornecendo serviços de saúde emergenciais, alimentos para crianças e vacinas para os venezuelanos. Uma clínica em Cúcuta informou que está vacinando semanalmente até 300 bebês venezuelanos porque as vacinas se esgotaram na Venezuela.

Atendendo às necessidades

Entre fevereiro e maio de 2018 o parceiro CORSOC da Tearfund apoiou 228 famílias de refugiados venezuelanos em Barranquilla, Colômbia, com vales-alimentação e treinou 100 famílias para gerar renda.

Ana diz que seu sonho é que a Tearfund possa trabalhar na Venezuela, especialmente para ajudar as crianças.

“Os pais estão deixando o país para tentar ganhar dinheiro para comprar comida. Por quê? Porque não há empregos, e as pessoas estão desesperadas para ajudar seus filhos. Algumas crianças foram deixadas para trás na Venezuela quando seus pais se mudaram. Nós gostaríamos de poder ajudá-los. Eles agora estão vivendo com avós, tios ou vizinhos. Alguns estão vivendo nas ruas.”

A igreja local, uma esperança nacional

Ana visitou várias igrejas locais na Venezuela. Ela diz: “Eu adorava ouvir sobre projetos para cuidar dessas crianças, por exemplo, dando-lhes uma refeição todos os dias.”

Mesmo assim, a luta tem se mostrado muito difícil para essas comunidades cristãs.

“Um pastor me disse: ” há um ano, tínhamos 200 pessoas nessa igreja. Mas somente nos últimos três meses 80 pessoas se mudaram para outros países. ”Isso significa que há menos pessoas na igreja e menos dinheiro e menos recursos.

“É difícil para as igrejas continuarem, mas mesmo assim, elas estão fazendo o que podem.”

“Uma das minhas orações é que a situação política mude. Talvez o resto do mundo veja o que está acontecendo na Venezuela e tome medidas.

Minha oração pela igreja é que ela possa se levantar nessa situação e entender que Deus precisa que ela aja nesse momento. Eu oro para que a igreja possa ser a mão de Deus neste período conturbado que o povo venezuelano está vivendo”.

Por favor, junte-se a Ana e sua equipe em intercessão pelo povo da Venezuela, particularmente pelas crianças.

Por favor, orem conosco:

• Pelas crianças que não têm o que comer. Orem por sua provisão e saúde.

• Peçam a Deus para estar com a igreja e seus líderes neste momento incerto, para que sua fé seja fortalecida pela esperança em Jesus.

• Peça a Deus que abra as portas para que a Tearfund possa trabalhar na Venezuela e ajudar a prover as necessidades mais básicas naquele país.

 

Leave a Reply