| | | 55 31 3568-1401

Ressonâncias Congresso Miquéias Regional: precisamos clamar pela paz

Ressonâncias Congresso Miquéias Regional: precisamos clamar pela paz

À luz do tema “Missão Integral em tempos de violência” foi realizado entre os dias 4 a 8 de Setembro o Congresso  Miquéias América Latina em Honduras.  As estatísticas apresentadas durante o evento mostraram o nível assustador de violência ao redor do mundo, principalmente na América Latina, já que, dos 25 países com o maior índice de homicídios, 14 deles são latino-americanos.

Sede do Congresso, Honduras exemplifica bem a gravidade do problema: enquanto a média da Organização Mundial da Saúde (OMS)  é 10 homicídios para cada 100.000 habitantes, em Honduras o número é 75 para cada 100.000 habitantes, resultado que poderia ser considerado uma epidemia. A população atual de Honduras é de 8.136.000, o que coloca o número de homicídios previstos para 2016 em torno de 6.102.

O Brasil, por sua vez, é o país com o maior número de cidades entre as mais violentas do mundo em 2015. Das 50 cidades com maior taxa de homicídios por 100 mil habitantes em 2015, 21 são brasileiras. A lista, divulgada anualmente pelo Conselho Cidadão para a Segurança Pública e a Justiça Penal, leva em conta o número de homicídios por 100 mil habitantes e inclui apenas cidades com 300 mil habitantes ou mais. Foram excluídos países que vivem “conflitos bélicos abertos”, como Síria e Iraque.

Apesar de o Brasil ser o país com mais representantes, o maior índice de violência foi detectado nas cidades da Venezuela. A taxa média brasileira foi de 45,5 homicídios por 100 mil habitantes e a venezuelana, de 74,65. Caracas, capital do país, lidera o ranking geral, com 119,87 homicídios dolosos para cada 100 mil habitantes.

O sentimento de desconforto e indignação frente a realidade violenta não só nos convoca a renovar os esforços para que seja maior o número de atores envolvidos no combate a este problema (que certamente compreende cada vez mais o trabalho de igrejas ); nos convida também a concentrar esforços nos cenários em que os mais afetados são as pessoas mais excluídas e vulneráveis.

Neste contexto, é preciso reconhecer o valioso capital humano que tem a comunidade cristã na região para desenvolver iniciativas pedagógicas e de mobilização para combater e eliminar iniciativas de violência. Acreditamos no poder da oração para a transformação deste cenário, pois cremos no Shalom como propósito de Deus para sua criação. Todavia, ao pararmos para orar por aqueles países que estão sofrendo violência, lembremos que estamos em uma batalha espiritual.

Por favor, ore: 

  • Para que Deus intervenha e acabe com a obra destrutiva de Satanás que mantém estes países em escravidão e violência.
  • Ore contra a cultura de violência que cresce da injustiça, da pobreza, dos vícios, do abuso de poder, da ganância e da indiferença.
  • Ore para que a Igreja em cada local seja um veículo de paz em suas comunidades.
  • Ore para que nós, como Corpo de Cristo, no Ministério da Reconciliação, busquemos juntos responder a essa realidade lastimável.
  • Expressões Nacionais: após o congresso regional em Honduras, muitos países latino-americanos estão interessados em criar Expressões Nacionais da rede Miqueias. Ore para que nas próximas semanas de conversas e planejamento nós possamos unir as pessoas em torno de nossa visão comum: comunidades vivendo a vida em toda sua plenitude, livres de pobreza, de injustiça e de conflito.

Nós ousamos visionar o fim da violência. Nós nos comprometemos a orar e trabalhar juntos no nome do Príncipe da Paz.

Leave a Reply